Desencontro de Almas

16:39

Eram almas-gêmeas, mas não sabiam. Viviam em estados diferentes, cada um com sua solidão e esperança. Ela, mais nova, porém madura. Ele com alguns anos a mais de experiência aprendeu a sonhar. Ambos românticos, tinham certeza que encontrariam alguém especial para compartilhar felicidade.
A semelhança entre os dois era assustadora: Gostavam dos mesmos livros, sons, aromas, sabores. Tinham os mesmos valores morais. Eram estranhos, impopulares e difíceis de lidar. Não sabiam que quanto mais à margem da normalidade ficavam, mais próximos um do outro estavam. Até as diferenças os uniam: A praticidade dela ajudaria a trazê-lo para a Terra, e ele a ensinaria a voar e ser mais confiante. A distância dos corpos era um erro do destino, pois só seriam completos juntos.
Como que para se desculpar, o destino trilhou um caminho para o encontro das almas-irmãs. Um amigo dele se mudou para a cidade dela. Meses depois esse amigo o chamou para passar uma temporada em sua casa. Ele aceitaria o convite e partiria. Ao chegar na rodoviária um rapaz vestido de preto entregaria para ele um folheto sobre a festa que ocorreria numa universidade, onde ela estudava.
Ela não era afeita a festas, mas decidiria ir por influência de uma amiga. Ele não perdia uma oportunidade de dançar, então iria e dançaria como louco. Ela ficaria num canto se sentindo deslocada, só partindo para a pista quando a música favorita deles tocasse. Um esbarrão, uma queda evitada pelos braços fortes dele. Olhares, sorrisos tímidos. A música acaba, a festa não. Conversam e percebem que o encantamento não será por uma noite apenas.
Se encontram todos os dias em que ele permanece na cidade. Ele fica por mais tempo, pois já a ama e é amado.O namoro se fortalece, mesmo à distância. Fazem planos. Anos depois decidem morar juntos. Se casam, têm dois filhos: Benjamim e Sofia. Formam uma bela família e são felizes para sempre.
Mas não é isso que acontece...
Sensível como é, ele pressente que algo de muito importante vai ocorrer se pegar o ônibus e decide esperar por outro horário, temendo que o pressentimento indique algo ruim. O rapaz de preto entrega o folheto para outro homem, que decide ir à festa e lá a encontra num canto, a tira para dançar e faz de tudo para ficar com ela. O que acontece no outro dia. Ela se envolve com seu jeito sedutor e ele a faz sofrer. Ela desacredita no amor, se entrega sofregamente aos estudos e trabalho. Namora meia dúzia de homens. E jamais casará, terminado sua vida como uma excelente profissional e infeliz mulher.
Ele volta mais cedo para casa, afinal nada o prendia. Chega a tempo de ir a uma convenção de quadrinhos e lá conhece uma garota linda e meiga. Ficam amigos. Ela se apaixona, ele a deseja. Namoram. Se casam. Sem saber porquê, ele precisa dar ao primeiro filho o nome de Benjamim, mesmo contra vontade da mãe. E quando olha pela primeira vez o bebê sente uma tristeza profunda, como se olhasse naquele rosto uma vida que era sua, mas foi furtada e jamais seria devolvida.





Sim, eu já fui mais otimista!E, NÃO, ESSE NÃO É UM POST AUTOBIOGRÁFICO!



You Might Also Like

6 comentários

  1. há um pouco de nós em cada linha que escrevemos. sempre podemos acrescentar algo, omitir algo. na vida e nas escritas.

    um abraço de quem observa as coisas de longe.

    ResponderExcluir
  2. Com exprimir em palavras e comentar sucintamente o que acabei de ler?
    Me "vi" na pele da moça, no início.
    Depois, mergulhei no "Universo" do rapaz que é - e sempre será - a ALMA-GÊMEA desta moçs.Tanto é assim que, a Vida o levou para outra direção, outra MULHER, outro casamento e outro FILHO, porém a ligação dessas ALMAS não foi rompida.
    Se tem uma coisa na qual eu creio, nesta Vida, é nas ALMAS-GÊMEAS, na sincronicidade de pensamentos e gostos pessoais entre esses dois Seres que se complementam para tornarem-se um só!
    Não tem nada a ver com SEXO, ATRAÇÃO ou sejá lá o que digam. Eu chamo de NECESSIDADE de COMPLEMENTO.
    Eu sou um Ser que veio para este Planeta aprender algumas lições sozinho. Porém, tenho uma necessidade de "pertencer" a alguém que não só vai me amar, mas sentirá o mesmo que eu, nos mínimos detalhes.
    Acho que sou um tnto antiquado, mas creio na força do AMOR!

    Que assim seja...

    ResponderExcluir
  3. lindo texto.

    venha conhecer meu blog.

    é de humor .

    e de graça!

    um abração carioca.

    ResponderExcluir
  4. Texto perfeito. Emocionante a cada letra, palavra, linha. O amor é de uma força tão inesgotável, que não se explica. E como é lindo! Parabéns pela pecepção tão magnífica. E quanto ao tom "fatalista", ele nos mostra o quão ínfimos somos diante do que não podemos dominar.

    ResponderExcluir
  5. Bruna,
    Acho que este é O melhor post de todo o blog.
    Não é autobiográfico? Não né?

    Parte I: O rapaz ainda deseja a outra moça linda e meiga, mas ainda não conceberam Benjamim e Sofia. O rapaz acredita em alma-gêmea e sabe que essa outra moça é mesmo linda e meiga mas não tem os traços que seus dois filhos herdarão.
    A moça, que namorou meia dúzia de homens, está decepcionada, trabalha, estuda e pensa que a vida nada mais lhe reserva. Está satisfeita em ser excelente profissional e pensa que pode escolher nunca mais se apaixonar. Está convencida de ser dona de seu coração partido e nunca mais irá amar.

    Parte II: Então, o sétimo namorado, o que ela conhecerá por acaso, numa situação banal, sem nenhuma expectativa será especial, será ELE.
    Provavelmente o esbarrão não irá acontecer, os braços fortes só serão percebido mais tarde. Não haverá música favorita, até por que, eles nem mesmo gostam das mesmas músicas. Eles são diferentes. Deliciosamente diferentes.
    Mas eram eles. A moça e o rapaz do começo da história que o destino, culpado, havia tentado juntar. Não era hora. Eles eram gêmeos demais.
    Eles estavam diferentes, mudados. Cresceram, amadureceram, endureceram um pouco talvez.
    Acontece que ela não o reconhecerá logo e perceberá mais tarde, que esse é justamente o sujeito que a tempos atrás, gostava dos mesmos livros, dos mesmos sabores que quase quase tomou seu coração naquela festa que ele não foi e nem teve a chance de conhecer.
    Então mulher, ela irá sofrer um pouco, fará ele sofrer também e algumas arestas aparadas depois, perceberá que essa alma nem tão gêmea assim é o amor de sua vida.
    O rapaz, então homem, terá dias de menor paciência, mas cuidará e entenderá a moça, então mulher, e será o pai de Benjamin e Sofia com toda a certeza de que alma-gêmea pode nem ter os mesmos gostos, mas irá reconhecer um no outro o que mais importa, o amor.
    Eles não serão exatamente felizes para sempre. Felicidade eterna é enjoativa. Brigarão um pouco, encontrarão percalços, obstáculos e otras cositas más.
    Mas não é que no final, eles, mesmo sendo tão diferentes na vida cotidiana, descobrirão que alma-gêmea é algo tão mais profundo e que eles os são?! ;)

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Já falei demais!Deixe seu recado:

Like us on Facebook

Flickr Images