Amor nem Sempre faz Bem

11:06


Enfrentar o ódio me parece tarefa tão fácil, necessário apenas revidar com mais ódio ou indiferença. Mas como enfrentar o amor? Como resistir às palavras duras proferidas por quem você ama? O ódio momentâneo é explosão do amor agitado, forte e incontrolável. Cada frase a ricochetear, a se alastrar e quando aparentemente esquecidas, voltar com clareza de um eco doloroso.
Eu preferiria jamais amar e ser amada, a um dia usar meu amor para machucar. Mas ontem tive a prova que nem todos (ou a maioria?) pensam assim. Amor materno tem um preço, um peso, e eu não consegui pagar ou suportar me desmanchando em lágrimas. “A verdade dói”, ela disse. Sim, me dói saber que na sua verdade eu nada mais sou que um peso inútil a dar prejuízo. Me desculpa se seu investimento foi empregado da pior forma. Não, o que mais me dói não é isso. Meus pais nunca irão saber, mas por maior que seja a decepção deles, não é nada perto do meu sofrimento por não ser (e nunca serei) a filha dos seus sonhos.

You Might Also Like

4 comentários

  1. Querida Bruna,
    Faz tempo não visito os blogs amigos e menos ainda comento. Desculpa a demora em aparecer por aqui.
    Menina, hoje você me fez chorar. Fui lendo, lendo e lendo...
    É sim. Amor nem sempre faz bem.
    Na verdade é o ser amado que nem sempre faz bem. O verbo amar é às vezes "intransitivo"...
    Amar dói, decepciona, mas também faz a gente crescer né?
    Não há que enfrentar o amor minha querida... há que aceitá-lo com resignação.
    Até o amor por um bichinho de estimação faz a gente sofrer, ainda que seja só quando ele parte (Nesse post eu me debulhei em lágrimas!)!
    Sobre olhar uma foto, um espelho e odiar? Afff! Nem me lembro quantas vezes já chorei por não gostar de mim mesma. Um dia a gente aprende.
    Demora, mas aprende.
    E veja bem: Você é tããããão nova! Tanta coisa ainda por viver! Boas e ruins! Uma vida inteira e tantas coisas inimagináveis por vir! Nada, absolutamente nada é definitivo, você mesma disse!
    Ah sim! E bipolaridade tem tbém seu lado legal! Nos dias melancólicos, seres bipolares podem ser intragáveis mas escrevem coisas belíssimas!
    Adoro o seu blog!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Sim, o amor dói. :/
    Hoje tive um desentendimento com a minha família, fica uma coisa muito chata.
    Espero que as coisas por aí melhorem.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. muitas coisas doem, mas é preciso entender (o mais rápido possível) que você é o melhor que você pode ser e eles precisam vê-la como você é e não uma filha dos sonhos. você é real e tem suas qualidades e defeitos. conviver e amar tem dessas coisas: ver o outro e aceita-lo como ele é e não como projetamos. isso serve para pais e filhas.

    tente ficar bem, fada.

    ResponderExcluir
  4. Momentos de raiva são bem propícios para machucarmos com todas as nossas forças. E então descobrimos nosso enorme potencial de ferir. Depois que as coisas se estabilizam vem o arrependimento.

    ResponderExcluir

Já falei demais!Deixe seu recado:

Like us on Facebook

Flickr Images